sexta-feira, 26 de junho de 2009

VAI UMA PNEUMONIA AÍ?

OLHA A PNEUMONIA AI GENTE!

Nesta época do ano o que mais se vê por aí, é gente com o nariz escorrendo, tossindo, espirrando, queixando-se de dor de cabeça (mais na região frontal), obstrução nasal, lacrimejo, obstrução nos ouvidos, dor no corpo e nas articulações, cansaço, fadiga, respiração curta, etc. alguns estarão com gripe; outros resfriados; a maioria com crise de alergia (rinite, sinusite, bronquite, faringite granulosa, laringite); mas alguns estarão com pneumonia.
Neste outono – inverno, eu tenho detectado no consultório mais casos de pneumonia, causada por vírus, em adultos do que em anos anteriores. A tendência é de aumento também nas crianças e nos idosos. Vários são os fatores a contribuir: aumento das intolerâncias e das alergias; efeitos colaterais do estresse crônico; aglomerações; pouca ventilação; excesso de medicamentos; dieta inadequada, sedentarismo.

Aumento das intolerâncias e das alergias:
Intolerância a algo (alimentos, medicamentos, produtos) costuma ser confundida com alergia. Simplificando: na alergia o sistema imunitário é acionado; a intolerância é como um efeito colateral; e nela o desaparecimento dos sintomas é muito mais rápido do que na alergia - desde que seja afastado o agente; pois a persistência pode transmutar a intolerância em alergia; um exemplo clássico: a intolerância á lactose nas crianças é transformada em alergia em virtude do excessivo e prejudicial consumo de leite.
As intolerâncias e a alergia vão aumentar em progressão geométrica; e não é preciso ser vidente nem bidú para acertar o chute: a cada dia estamos mais expostos a novos produtos químicos (aditivos químicos usados na produção de alimentos; agrotóxicos; produtos de higiene pessoal; cosméticos; produtos de limpeza; poluição ambiental) que pelo uso contínuo vão rapidamente do efeito colateral á doença criada artificialmente.
Sofisticando o raciocínio:
As reações orgânicas geradas por situações afetivas e emocionais vão rapidamente da intolerância á alergia e potencializam todos os agentes materiais. Pode-se dizer que muitas pessoas desenvolvem alergia ao chefe neurótico, á sogra, esposa, marido e até pessoas distantes (por exemplo, aqui entre nós podemos considerar como agentes capazes de produzir alergia: Para os professores do Estado de SP, o Serra; para os torcedores o Dunga; para os mais politizados o Lula, Sarney, reuniões do STF; os noticiários, etc.). Há saída para nos livrarmos desses agentes? – Claro e algumas são bem engraçadas – mas, fica para outra ocasião - Como dissemos em nosso livro: “Saúde ou doença: a escolha é sua” Ed. Petit - É impossível separar saúde e doença de existência.

Efeitos colaterais do estresse crônico:
Para entender a importância deste assunto: recomendamos a leitura dos artigos sobre estresse crônico; cortisol; adrenalina; timo.
Resumindo: até a paciência de Deus tem limites. Nossa antes incrível capacidade de adaptação está sendo zerada.
Alerta: Apenas a ponta do iceberg começa a aparecer; os efeitos do estresse crônico vão aumentar de forma rápida e eficiente – Não é verdade que, quem procura acha!

Aglomerações:
A “bicharada: vírus, fungos e bactérias” ficam em polvorosa quando tantas vítimas se reúnem. Dr. Depois que coloquei meu filho na escolinha ele não para de ficar doente! – Claro que há a transação de vírus de uns para os outros – mas, nem todos pegam – não se trata de criar a criança numa redoma – Mas, vai uma dica: as crianças não resistem a duas festas de aniversário na mesma semana – muito menos ao quebra pau constante nas discussões entre pai e mãe. Caiu alguma ficha?
Para os que trabalham com o publico e para os que dependem de transporte coletivo; os cuidados devem ser redobrados.

Pouca ventilação:
A mania de encarar o uso de ar condicionado como símbolo e progresso e de status vai custar muito caro. O aparelho de ar condicionado é a colônia de férias da “bicharada” (vírus, fungos, bactérias). Sua chefia no trabalho tem arroubos de calor e põe o ar condicionado a mil? – o jeito é rezar para que pegue uma pneumonia para aprender a respeitar os outros – É falta de caridade? – Talvez não – mas, em todo caso analise a intensidade de seu pedido; veja se não há algo de ressentimento em jogo.

Excesso de medicamentos:
Na era das informações em excesso, os que pensam pouco e mais lentos vão se dar mal. Deixamos esse alerta por conta dos efeitos colaterais – E aí; já reabasteceu sua farmácia particular?

Dieta inadequada.
O peixe morre pela boca por que seu cérebro é muito pequeno – o candidato a ser humano morre pela boca por que usa seu cérebro para coisas inúteis e continua peixe.
Quanto mais se come mais saúde se tem? – Errado. É exatamente ao contrário; que o digam os chineses – Maior população do planeta: China - Motivos? Claro que são vários e complexos – Mas, em parte pela dieta. Resumindo: o que temos á disposição de comida para um dia era a ração do chinês comum para um mês. Não importa tanto o que eles comem (um amigo meu que viveu vários anos na China me disse que lá você viaja ás vezes por centenas de kms e não vê nada que se move nem no ar nem na terra, pois eles comem tudo que se move (aves, aranhas, escorpiões, gatos, cães, etc). Nessa lúgubre analogia dá para entender o quanto a quantidade é mais importante do que o tipo. Por exemplo: para curar a maior parte das doenças catarrais repetitivas das crianças basta eliminar de forma radical o leite de vaca com achocolatado; é tiro e queda.

Sedentarismo:
Preguiça dá gripe? – Sim, claro! – Nosso corpo está tão “envenenado” pela comida, meio ambiente, emoções, que é preciso dar uma “suadinha” para eliminar toxinas – nada a ver com transpirar de medo e ansiedade nem com fogachos de menopausa orgânica ou psíquica. Claro que as conseqüências do sedentarismo “dá pano par muitas mangas”; mas, isso todo mundo já sabe.

A intenção básica desta nossa conversa de hoje, é alertar para os efeitos danosos do inverno em curso:
A previsão é que seja baseado em chegada de massas de ar polar ao invés de frentes frias. Diferenças? – Na frente fria temos umidade e na massa de ar polar frio seco – As oscilações são muito fortes – o que traz problemas para nosso cada vez mais desorganizado organismo físico e mental emocional.
Os órgãos e partes mais afetadas serão: pele do rosto e do corpo; olhos; mucosa nasal e dos seios da face; faringe; laringe; pulmões.

Alguns poucos conselhos úteis:
Hidrate-se muito bem por via oral – Nosso corpo apresenta setenta por cento de água em sua constituição e o meio ambiente vai retirar água através da pele que vai ressecar e detonar em função do banho muito quente e do uso de sabonete. Obs. A água não tem substitutos – líquido não é água – cuidado com as porcarias químicas com aditivos e corantes. Água de coco natural sem aditivos é um santo remédio (cuidado com as fantasias sabor água de coco; vendidas em barraquinhas de supermercados e algumas lojas).

Hidrate a pele, os olhos e a mucosa nasal com soro fisiológico – muitas vezes ao dia – o jeito mais prático é usar um borrifador.

Hidrate o meio ambiente com um umidificador – clro que nas regiões onde a umidade do ar esteja abaixo do desejado – em alguns locais já úmidos é vitaminar a criação de ácaros e fungos.

Reformule a dieta:
Alimentos adequados para o aparelho respiratório: agrião; nabo; rabanete; laranjada (não beba suco de laranja puro: é muito ácido e produtor de muco; além da laranja ser uma das frutas mais envenenadas na agricultura) – A vitamina C é muito sensível e se oxida rápido; daí: nenhum suco concentrado ou congelado tem vitamina C ativa.

Mantenha seu intestino funcionando bem:
O ideal é após cada refeição; coisa fácil de ser conseguida com treino; e claro cumprindo as regras básicas de dieta. Lembre do envenenamento que seu corpo está sofrendo. Tomar laxante é quase que um suicídio.

Caso tenha sofrido um resfrio súbito:
Somos vulneráveis a mudanças súbitas de temperatura. Elas serão tão bruscas daqui em diante que teríamos que andar com uma mala o dia todo. Para quebrar o gelo basta usar a receita do antigo “escalda pé” – Lá atrás alguém descobriu que aquecendo o pé evitava-se um resfriado ou a cura era mais rápida. Hoje sabemos a razão dessa eficiente ajuda. Na sola do pé estão terminações de todos os meridianos de acupuntura – em pessoas mais vulneráveis basta aquecer o meridiano do pulmão e adeus resfriado.

Estou com Pneumonia?
Crianças reagem de forma global: prostração, febre, sede aumentada, anorexia, respiração difícil. Nos adultos o diagnóstico é mais complexo; pois nem sempre fazem febre; a respiração difícil pode ser por ansiedade ou peripaque; o mal estar pode ser confundido com a depressão incipiente em andamento – boa parte das pneumonias em adultos não são diagnosticadas e se curam por si melhor; curavam-se... Daqui em diante nada mais será como antes...

Tem dúvidas?

Será a pneumonia uma doença física ou espiritual?

O que você acha?

2 comentários:

marcio disse...

A pneumonia para mim, é totalmente um mal físico, fazem 30 dias que fui contemplado pela mamãe natureza com uma delas que quase me levou dessa para melhor, é claro que a culpa foi minha, eu acho.....
Tive uma gripe fortíssima durante uma semana ou mais, tentei tratar com injeção do amigo farmacêutico, muitos remédios anti-gripais, anti sintomas dessa gripe, etc...
acredito ter sido h1n1, pois no fim se transformou nessa pneumonia, aí eu corri no hospital, consultas e raio x dos pulmões, o médico não pediu exame para a gripe, pois à essa altura ela estava praticamente extinta, não tive febre, apenas alguns calafrios, em compensação a falta de ar quase me matou.......matou mesmo. Curei em casa com muitos medicamentos sintomáticos na maioria e claro 2 gramas de antibiótico por dia. Exames feitos em 11.09 e 16.09, segundo o médico seguir com o repouso por mais algum tempo (indeterminado) e pronto, se piorar volte !!!, depois de duas semanas em casa estava melhor, apesar de que a dificuldade para respirar continua, estou respirando com dificuldades depois dessa pneumonia.

Daniela disse...

Dr. bom dia,

Me chamo Daniela e tenho um filho de 1 ano e 9 meses que só neste ano teve 9 infecções de ouvido, com secreção. Me indicaram isoterapia, mas aqui em São Paulo estou com dificuldades para localizar médicos homeopatas e farmácias que trabalhem com isso, você poderia me indicar algum profissional?

Livros Publicados

Livros Publicados
Não ensine a criança a adoecer

Pequenos descuidos, grandes problemas

Pequenos descuidos, grandes problemas

Quem ama cuida

Quem ama cuida

Chegando à casa espírita

Chegando à casa espírita

Saúde ou doença, a escolha é sua

Saúde ou doença, a escolha é sua

A reforma íntima começa no berço

A reforma íntima começa no berço

Educar para um mundo novo

Educar para um mundo novo