domingo, 17 de novembro de 2013

A QUALIDADE DO AMOR




Um dos conceitos mais buscados na atualidade são padrões de qualidade para tudo: especialmente a indecifrável qualidade de vida – mas, pouco ou nada se ouve a respeito da qualidade do amor.
É possível qualificar o amor?
Sim.
O amor comporta infinitos padrões de qualidade ou padrões de freqüência vibratória; as variações correspondem às diferenças de qualidade da maturidade psicológica das pessoas envolvidas na análise.
Quanto mais maduro e evoluído é o indivíduo, mais elevados, éticos, e desinteressados, serão seus fins; mais puros serão seus ideais; e mais elevado será seu padrão vibratório.
Quanto mais atrasado e imaturo é o indivíduo mais egoístas e interesseiros serão os seus desejos; até porque, ainda é pobre de ideais.     

Maturidade, não deve ser confundida com idade cronológica.
O padrão de qualidade do amor é diretamente proporcional à qualidade evolutiva das pessoas. Por exemplo, quem mata por amor é um assassino e não, um ser amoroso; o crime passional não pode usar o conceito amor como desculpa.

Podemos avaliar a qualidade do amor humano segundo vários ângulos:

·        Capacidade de expressar amor, em palavras, atitudes, olhares.
·        Maturidade intelectual; afetiva; emocional; social; religiosa; acrescentaríamos a maturidade profissional, em virtude da importância que assumiu a qualidade do trabalhador nos dias de hoje.
·        Capacidade de se conectar e de interagir.

Como o amor é um tipo de energia que não pode ser estocado nem bloqueado, apenas deve fluir sempre. Interessa-nos muito estudar com mais detalhes o padrão de qualidade humana segundo a capacidade que a pessoa desenvolveu de conexão e de interação com os semelhantes.

2 comentários:

L. Guerra, L.Hvenegaard, e R.Cury disse...

Bom dia! Excelente pensamento!

Neste mundo da pressa, do homem econômico total e da destruição moral o amor sofreu uma terrível banalização, sendo acusado de problemático e dispensável.

Se alguns tratados filosóficos dizem que o ser humano tem natural tendência à rejeição, à raiva, à competição, que o amor seja então, como aqui foi dito, relegado ao plano da superioridade!

Crislocatelli disse...

Excelente. Essa maturidade afetiva requer que cada um se esforce para atingi-la. São muitos os fatores que retardam essa maturidade. Cabe a nós procurar crescer e amadurecer. Evoluir e melhorar sempre.

Livros Publicados

Livros Publicados
Não ensine a criança a adoecer

Pequenos descuidos, grandes problemas

Pequenos descuidos, grandes problemas

Quem ama cuida

Quem ama cuida

Chegando à casa espírita

Chegando à casa espírita

Saúde ou doença, a escolha é sua

Saúde ou doença, a escolha é sua

A reforma íntima começa no berço

A reforma íntima começa no berço

Educar para um mundo novo

Educar para um mundo novo