quinta-feira, 22 de abril de 2010

POR QUE COMIGO? – A INFLUÊNCIA DE PLUTÃO NA TRANSIÇÃO PLANETÁRIA

Depois da diarréia cerebral de ontem – acho que o rotavírus também ataca o cérebro gerando descargas semelhantes a febris surtos psicóticos. Bem, a febre já passou; o mal estar atual é apenas comigo mesmo; sobraram as evacuaçõeszinhas básicas; mas, sem verborragia.

Nosso assunto de hoje é mais sério.

Preste atenção ao que se diz por aí o tempo todo:
Não agüento mais!
Meu mundo está ficando de pernas pro ar!
Por que comigo; se sou tão bonzinho e, cumpridor das minhas obrigações?

Quem foi o artista que pisou no acelerador do mundo?
Quem está nos cutucando?
As mudanças caminham num ritmo cada vez mais acelerado; esse é um fato inegável – mas, não apenas nas situações que rotulamos de negativas; muitas coisas boas estão em andamento para todos, depende apenas do olhar que damos aos fatos em andamento.

Mas, num mundo de coitadinhos, quem se interessa por coisas boas que até podem atrair inveja?
Nossa visão de mundo está cristalizada no negativo – temos imensa dificuldade em fixar nossa consciência nos fatos positivos; muitos são os motivos: educação, cultura, religião, estilo de vida – que premiam o sofrimento com mais atenção; e até, amor.

Meu trabalho serve de parâmetro – Para se chegar ao diagnóstico homeopático é preciso, acima de tudo identificar quem é aquela pessoa e não apenas qual a doença está em andamento e seus sintomas.
Exemplo, atendo um paciente e anoto na primeira consulta 20 queixas; no retorno indago: E então como está? Boa parte vai dizer: - Na mesma! – ou - Estou pior! – indagando sobre as queixas anteriores confirmo que 15 delas desapareceram; restam 5 – mas, o foco continua nelas e não nas que foram eliminadas.
Notícias boas caem no vazio; não conseguem nos atrair.

A impressão que temos é de um final de ciclo.
Final de feira! – Hora da xepa!
Quem dá mais atenção e carinho prá quem ta dodói?
Quanta dózinha merece minha depressão? – Meu câncer é mais grave que o seu! – Minha dor é maior que a sua!

Imaginemos a professora Dona Vida nesta escola cósmica dizendo:
Atenção molecada terráquea em 2 eons vou recolher as provas finais! – o corre-corre vai ser daqueles!

Ou numa relação comercial do universo:
Nesta fase de transição estamos fechando prá balanço; tanto nós quanto o planeta – para reabrirmos as portas a uma nova vida, sob novas perspectivas, valores e capacidades.

Na Maternidade Divina:
É um verdadeiro trabalho de parto íntimo e planetário – o homem velho deve ceder lugar ao novo – quando facilitamos o processo de renascimento o parto é feliz e até prazeroso; mas quando fechamos as portas, seja por medo, preguiça ou rebeldia; o processo vai a fórceps (dor e sofrimento) ou via cirurgia (transferência de enfermaria cósmica). Relaxa e respira fundo!

No hospital e manicômio GAIA:
Em se tratando de saúde ou falta dela; mesmo com todos os recursos tecnológicos da modernidade; nós vivemos numa verdadeira “epidemia” de câncer; doenças auto-imunes; infecções de todos os tipos; enfim, doenças do corpo físico para todos os gostos e desejos – mas, as doenças psíquicas, emocionais, afetivas, sociais aumentam de forma impressionante, conforme já colocamos em outros artigos (estão á disposição nos blogs).
Poucos já estão em fase final de renascer; estamos quase que no mesmo barco - Nosso artigo de ontem serve como exemplo, de como é possível transformar uma salada de verdades numa mixórdia de conceitos disparados numa enxurrada caótica de catarse; isso se chama surto psicótico; que pode se manifestar não apenas no comportamento social mais ou menos adequado; mas também, no discurso; na escrita; nas razões e nos conceitos de viver, na atividade profissional, etc.

E se estou dormindo na hora da aula e da prova?
Beliscões cósmicos ajudam (dor, sofrer, perdas, doenças) resolvem? – Nem sempre; pois, alguns de nossos colegas de classe querem que continuemos dormitando prá roubar nosso lanche, zoar conosco e nos assustar: acorda Mané que aí vem a pro!

Novos conhecimentos para velhas almas são sempre difíceis de assimilar.
Lembro da minha época de ginásio na transição da velha e boa matemática para a tal de matemática moderna; não me adaptei – mas, fui obrigado a aceitá-la para sobreviver sem repetir o ano escolar.
Trazendo isso para o dia a dia atual:
Nas minhas antigas formas de perceber o momento em que vivemos, as explicações iam para a aceleração do ritmo de vida; excesso de informações; vidas paralelas (prá mim já foi um avanço, era adepto do conceito de hipocrisia): aparentamos ser uma coisa, e somos outras várias, diferentes; mudança do padrão vibratório do planeta – a grade energética de Gaia está mudando e a nossa deve adequar-se ao novo quantum; e outras...

Enfim, resumido tudo:

Estamos sendo centrifugados e nos selecionando; em alguns aspectos lentamente; noutros muito rápido – “claro que na natureza nada se cria e tudo se transforma”; daí que, muitos antigos conhecimentos podem ser vestidos com nova roupagem tornando-se muito mais úteis.
O Evangelho como exemplo: Lembram da colocação de Jesus a respeito do convite para a festa de bodas e da veste nupcial? – O que e onde será essa festa? Pode muito bem representar esta nova fase de planeta – sim, ao longo de nossa evolução em Gaia, todos nós fomos convidados a participar; não importa sob que sistema de crenças – aceitar depende de cada um (muitos serão chamados; poucos vão se escolher: trabalhar para merecer) – mas, não basta aceitar o convite na última hora, é preciso ter a roupa de gala – o que pode ser entendido facilmente quando usamos o conceito de corpo extra-físico – nosso padrão vibratório deve ser compatível; caso contrário, nós seremos barrados no baile.

A idéia básica do bate papo de hoje:

Explicações da Cosmologia e da Astrologia podem ser agregadas á nossa visão de mundo para enriquecê-la.

E até para podermos contar com mais ferramentas a nos auxiliar nessa empreitada.

Muitos portais estão se abrindo; energias mais sutis e luminosas estão chegando, é preciso ancorá-las para ajudar na transmutação. Pois, á medida que essas energias atuam sobre nós elas revelam nossas falhas de caráter, imperfeições – mas, por outro lado realçam nossas qualidades – se, aprendermos a acolher e a amar; todo o processo se dá sem traumas, sem dor.

E para quem não tem acesso a essas sutilezas do conhecimento?
Estão no “corgo” como diz o caipira?
Claro que não; pois informação demais sem uso dá uma tremenda diarréia intelectual e até verborrágica.
Como colocar esses conceitos de ancoragem de energia e de transmutação para minha mãe?
Simples: Querida, ou aprende pela dor ou pelo amor – suas crises de colite surgem por que não controla seus desejos gulosos nem a raiva, a ira e o medo – aceita seu marido do jeito que ele é; não queira controlar a vida dos outros; deixe de assistir noticiários de TV e pare de fofocar com as amigas; economize água; cuide bem das suas plantas, das aves e dos animais; dê de comer a quem bate na sua porta; ouça boa música; dê bastante risada – e outras coisitas mais do dia a dia que preenchem a rotina de uma pessoa de 82 anos – claro que é preciso compartilhar nossas dores e erros para mostrar que todos nós somos imperfeitos e necessitados de amor, respeito e aceitação dos nossos erros e deficiências.

Segundo a Astrologia:
Plutão em Capricórnio e Saturno em Libra formam uma quadratura que atua fortemente em nós e em Gaia, nesta fase.
De forma resumida, Saturno - simboliza as estruturas: sociais, políticas, religiosas, filosóficas, familiares, profissionais, pessoais. Plutão – desintegra as cristalizações em todas suas formas de se expressar – para que nossa consciência desperte para manifestar nossa verdadeira realidade.

Sob a ótica desse conhecimento torna-se mais fácil entender as mudanças em curso; pois, em tudo a força da mudança arrebenta a antiga segurança estabelecida para nosso conforto e convívio; quebra a rotina da mesmice; leva a questionamentos que tendem a nos despertar.
Mas como dizer isso prá minha mãe?
- Querida as coisas estão mudando depressa não estão? – A senhora acredita que somos ovelhas do rebanho de Jesus; não acredita? – Também reconhece que as ovelhas não estão se comportando bem – Não é verdade? – Daí, Jesus nosso divino pastor resolveu chamar seu cachorro especial para essas horas, o “plutão” prá nos ajudar a andar na linha – Não; ele não é parecido com o Pluto do Mickey – Então faça tudo que Jesus recomendou senão o Plutão te pega – tá combinado? – Só Deus sabe o que ela vai entender; mas, parece que prá alguma coisa está servindo...

Neste ciclo de transmigração planetária tudo tem sua utilidade – nada pode ser descartado:

As perdas de todos os tipos são inevitáveis; mas, recicláveis – inevitáveis, porque fomos moldados para ter, possuir, ostentar, a qualquer preço, custo e marca (serve até made in china do Paraguai e demais genéricos). Tudo é reciclável, porque dor e sofrer podem virar facilmente oportunidades de obter: sabedoria, paz, saúde e felicidade, dentre outras coisas.

Sob a batuta de Plutão e Cia Ltda. - As mudanças estão aceleradas e inexoráveis.

Nos relacionamentos:
Estabelecemos a meta da estabilidade, nos laços de posse e na fidelidade mútua; daí que com a ajuda de Plutão eles estão ficando cada vez mais descartáveis e sujeitos a test drive – Príncipes encantados viram sapos em dias; fadas tornam-se bruxas em horas.
Matreiros vampiros de energia vital são descobertos em tempo curto.
Nas relações:
É preciso que aprendamos a nos aceitar como somos; para que os outros façam o mesmo. Sigamos nosso caminho e quem quiser nos acompanhar que o faça.

Na vida social:
O primeiro passo é buscar um lugar de destaque e segurança para que nós e a família possamos consumir. A perda de status banalizou-se na dívida do cheque especial e no calote.

No sistema de crenças:
Domina a racionalidade e o materialismo (mesmo para pessoas que rezam todos e várias vezes ao dia) – Pois, para nós só é real o que se manifesta no plano físico.
Milagres espúrios ficam rapidamente a descoberto.
Jogar tudo nas costas de Deus traz cada vez mais complicações.

A competência profissional se mede pela quantidade de títulos acadêmicos:
Resultados melhores aparecem de quem sente amor e prazer no que faz – isso está bem colocado na ação dos curadores legalizados e nos “informais”.

DESAPEGO É A CHAVE:

As forças que atuam sobre nós na atualidade promovem uma transformação profunda que mexe com todos nossos antigos sistemas de crenças e de organização – para poder assimilar o momento sem sofrer é preciso estar disposto e aberto a mudar, soltar, perder, liberar e reformar nosso relacionamento conosco com as outras pessoas e com todas as formas de vida.
Os desafios são grandes e para superá-los; além de conhecimento é preciso aprender a ser tolerante, compassivo, humilde, para aprender a captar as lições de transformação e de desapego ás pessoas, bens, posses; e reconstruir velhos conhecimentos.
Aprender a arte do perdão; pois, nessa fase nossos erros virão á tona e nossa atitude frente aos nossos; e aos dos outros será determinante.

Saída?

Transformações não são boas nem ruins, são apenas mudanças, reciclagem.
Crises podem servir para despertar a consciência ou para sofrer; a escolher.


O encontro com nós mesmos é o primeiro passo. Descobrir quem somos de verdade é o mais importante.

Plutão representa nosso momento: ou vai ou vai – suas energias não são nem boas nem ruins; apenas potencializam as mudanças – quem quiser continuar vibrando em baixas freqüências vai descer mais ainda; quem desejar elevar a vibração vai ter a possibilidade de acelerar o processo – no mercado da vida cósmica, a lei de oferta e da procura é realidade.

Bem vindas sejam as transformadoras energias de Plutão que irão atirar na lata de lixo cósmica todas as velhas crenças em velhos milagres externos.

Se quisermos crer em alguma coisa: acreditemos em nós mesmos; sejamos donos de nosso destino.

Tire sua visão do caos; fixe-a nas coisas boas que estão ocorrendo a você.

Recupere seu poder pessoal.
Saiba que é luz.

É tempo de transformação em nossos projetos de vida.
Quais são os seus?

Para finalizar:
Não queira entrar na Nova Gaia da Nova Era de forma sorrateira; nem pela porta dos fundos.
Antes:
Anuncia-te, bate palmas com alegria e faz amizade com o Plutão para não levares uma mordida no traseiro da alma e correr para a esquina da galáxia.
Para gente boa, de boca fechada ele não morde; o bicho é manso.

Um comentário:

neyde Aldebaran disse...

Estou boqui-aberta com seu artigo. Eu já o conhecia do Ecodebate, mas só hoje entrei em seu blog. Sou Astróloga, aposentada, admiro demais quando um escritor apresenta humor.A vida tem que ser balanceada.
Tenho Plutão no Ascendente, já viu, né?
Um grande abraço
Neydealdebaran@gmail.com

Livros Publicados

Livros Publicados
Não ensine a criança a adoecer

Pequenos descuidos, grandes problemas

Pequenos descuidos, grandes problemas

Quem ama cuida

Quem ama cuida

Chegando à casa espírita

Chegando à casa espírita

Saúde ou doença, a escolha é sua

Saúde ou doença, a escolha é sua

A reforma íntima começa no berço

A reforma íntima começa no berço

Educar para um mundo novo

Educar para um mundo novo